quinta-feira, 19 de julho de 2018

Tudo aquilo que o amor não é

Pára de vomitar palavras podres para cima de mim. Elas doem. Pára de cuspir bofetadas putrefactas e socos sem fim. Eles magoam. Pára de espirrar murros, empurrões e outros afins em estado de decomposição. Eles vão deixar marca. Pára de tossir insultos fedorentos aos meus ouvidos. Tu dizes que é amor. Dizes que eu cheiro bem. Para mim não é amor. Tu estás doente. Tens de te tratar. E eu preciso de um banho.

O acto ou efeito de criar

O acto ou efeito de criar... É muito maior do que eu. É tudo aquilo que vejo e tudo aquilo que sinto. É a ligação entre isso. E é muito mais além disso. Chega a quem vê e a quem sente. E é a ligação entre isso. E é muito mais além disso. O acto ou efeito de criar é, felizmente, muito maior do que eu e tu, e do que estas palavras.

segunda-feira, 16 de julho de 2018

ler

Quero ler páginas que me piquem. Quero que as palavras ecoem no meu pensamento durante horas, dias e não conseguir esquecê-las durante anos. Não quero literatura efémera. As letras têm de me fazer gritar, suspirar, transpirar de medo ou regozijar de alegria. Preciso de uma nova forma de pensar. Quero perspectivar o mundo com outros olhos e para isso, preciso que as páginas que leio não se contentem em me agradar. As páginas que leio têm de me odiar e de dizer algumas verdades. Só assim vale a pena ler. Só se nos fizer crescer.


domingo, 5 de março de 2017

21



Vinte e um.
Não vinte.
Não vinte e dois.
Vinte e um gramas.
É quanto pesa a nossa alma.

Será pouco?
Será demasiado?
Será a nossa alma leve?
Será pesada?
Será portanto suficiente?
Será que nos faz gente?
Será isto, será aquilo?
Com a vida que levamos...
Será caso para perguntar:
     - A como é que está o quilo?

sábado, 18 de fevereiro de 2017

pára

Basta! Nem mais um minuto à procura daquilo que já tens! É como procurar os óculos quando os tens no cimo da cabeça... Que necessidade é essa de procurar, de estar em constante busca, de estar insatisfeito,...? Olha à tua volta. A felicidade vive a teu lado. Sempre esteve ao teu lado. Mas nas pequenas coisas. Abre os olhos e agradece teres sido feliz até agora sem sequer te teres dado conta. Agradece à Felicidade ter estado sempre ao teu lado, singela e tímida como que receando que finalmente olhasses para ela de frente. Ela gosta de ser procurada. Ela gosta deste jogo de escondidas, mas chega. Está na altura de pôres os óculos e colmatares essa miopia de sempre, e para sempre seres feliz.